DESEJANDO A CUNHADA GOSTOSA

DESEJANDO A CUNHADA GOSTOSA

DESEJANDO A CUNHADA GOSTOSA.

Doce cunhada. Indubitavelmente um grande sonho de consumo, com certeza uma conquista impar a ser realizada, um troféu angariado, trata-se uma perola, uma morena, cheia de tesão, gostosura etc. Qualificações, de minha cunhada casada, que se percebe em seu semblante, uma enorme carência de amor, carinho, principalmente de prazer na cama. Venho sempre, na vigília de seus passos, movimentos, todavia, a moça se esquiva, quando aperto a situação, lhe jogando algumas indiretas. Sabe com certeza, que, a desejo, gosto dela, que, sou tarado por seus fartos peitões, por aquela bundona arrebitada, que, vivo naquela expectativa e, esperança de comê-la. Certa vez, em um movimento de família, compareci naquele churrasco, presente, estava a morena com o marido, que, segundo muitos comentários, não dá conta da mulher, que tem em sua casa, sempre deixando mesmo a desejar, porque, em se tratando daquela mulher, o marido tem que fodê-la todos dias, fazer sacanagem, comer aquele cuzão etc. Quando cheguei percebi, que seus olhares, mesmo que disfarçados direcionavam para mim, porém, não deixei que alguém pudesse desconfiar. A gostosona trajava um longo vestido, que dava visivelmente, para perceber que usava, uma micro calcinha. Fui, ao banheiro da casa, onde lá, expus meu pau pra fora e, o mesmo, estava babando de tesão. Tive naquele momento, uma enorme vontade de bater uma punheta, mas, me contive. Em um segundo momento, retornei ao banheiro, deixando a porta meio aberta, quando percebi, que Mariza, iria passar naquele momento, em direção a um quarto perto do banheiro. Ali, tirei o pau, fiquei o sacudindo, como a porta estava entreaberta, Mariza, pode, do quarto em que estava, me ver, com o pau ereto. A morena colocou a mão sua boceta e começou a bater uma siririca, quando percebi, enlouqueci, correndo para o seu quarto, mas, antes que eu entrasse, a gatona retirou-se com medo de alguém nos perceber. Mas, enfim, ali foi o início de várias tentativas que farei, porque, com certeza, irei comer, aquela linda morena bocetuda.

(BRAW)

 Edilson Leão