Como confessei à minha esposa que queria ser corno manso

Como confessei à minha esposa que queria ser corno manso

O dia em que fui corno pela primeira vez deve ter sido o dia da minha vida que mais vezes me masturbei. Nessa noite nem conseguia dormir com tanta adrenalina que tinha. Não parava de meter o nariz debaixo dos lençóis para tentar cheirar o cheiro a sexo entre a minha mulher e o amante desconhecido. E a verdade é que cheirava imenso e isso deixou-me excitado e completamente duro toda a noite. De manhã estava com as maiores olheiras que jamais foram avistadas. Mas, estava feliz e realizado. Por fim era um corno manso.

Somos um casal jovem e ainda sem filhos. Somos os dois empresários de sucesso e a verdade é que somos muito bem sucedidos no amor e nos negócios. Temos uma vida estável e muito confortável. Eu tenho 32 anos e tenho 1,95 e sou engenheiro. Ela também é alta, loira, seios enormes e duros e um rabo de loucura. Sempre achei a mulher mais atraente do mundo tanto a nível fisico como de personalidade. Ela é uma mulher absolutamente deslumbrante e quando entra em qualquer local todas as cabeças rodam para a apreciarem. Sejam homens ou mulheres fitam-na com desejo e admiração. Como seria de esperar eu sou absolutamente invisível para essas pessoas. Mas, é assim que eu gosto e isso permite-me que eu possa desfrutar de todo o espetáculo sem que ninguém perceba.

Um dia li um conta sobre um marido corno na internet e confesso que fiquei louco com a descrição que aquele marido cornudo fazia. Fiquei com tanto tesão que me masturbei umas três vezes e à noite quando fiz sexo com a minha esposa fantasiei que era outro homem a penetra-la loucamente e eu sentado na poltrona a apreciar tudo. Mas guardei o segredo para mim. De certa forma sentia-me envergonhado por sentir o desejo que outro homem fodesse a minha esposa. É um assunto tabu e a verdade é que ninguém fala dele, apesar de haver muitos cornos mansos.

Com o passar dos dias aquilo não me saía da cabeça e comecei a ver videos amadores de casais cuckold. E ficava excitadíssimo. Quando mais via mais certeza ficava que eu era um cuckold e a minha esposa era uma bela hotwife. Tinha tanta vontade e desejo de a ver a ser possuída por um Bull bem potente e que ela gritasse como louca de desejo e paixão. Chegou a um momento em que decidi que tinha de contar à minha esposa ou pelo menos tentar passar a mensagem de uma forma mais subtil. Queria pedir à minha mulher que fodesse com outros homens e me deixasse ver tranquilamente enquanto me masturbava.

Depois de pensar na melhor estratégia durante vários dias lá encontrei a solução. E a solução seria falar disto enquanto estávamos os dois excitados a fazer sexo. Então numa noite de loucura sexual comecei a sussurrar-lhe ao ouvido que fantasiasse que era outro homem desconhecido que a estava a penetrar. E a verdade é que ela se excitou imenso com isso e pediu para descreve o que estava a acontecer. Eu louco de tesão, descrevia como o desconhecido a penetrava vorazmente de quatro enquanto eu assistia deitado ao lado dele e segurando-lhe a mão. E ela perguntava como era o corpo do desconhecido e como era o pau dele. Eu descrevia tudo, enquanto a penetrava, em pormenor e dizia que era um corpo jovem e musculado. O membro viril dele era grande, duro e pronto a explodir dentro da vagina dele todo o esperma de macho.

Ela estava já absolutamente louca e descontrolada, mas quando eu lhe descrevi como ele era e que ejaculou todo o esperma naquela vagina incandescente …. ela explodiu de prazer. Foi possivelmente o maior orgasmo dela até aquele dia. Nunca a tinha visto assim. Selvagem. Descontrolada. Louca.
Eu ejaculei dentro dela um par de vezes até cairmos os dois para o lados completamente extasiados de tantos orgasmos.

Dormimos a noite toda como dois anjos.

No dia seguinte falamos sobre o assunto abertamente e eu confessei que era uma fantasia muito real para mim e que de verdade a queria realizar. Ela conhecia-me bem e sabia que eu estava a ser muito sincero e ela também o foi. Ela disse que era algo que também fantasiava muitas vezes e que de vez em quando se masturbava a fantasiar com isso. No entanto nunca me tinha contado ou sugerido fazer por medo que eu não aceitasse e não a compreendesse. Mas a verdade é que tinha muito desejo por estar com outros homens diferentes. Confessou que adorava conhecer novos corpos e fazer sexo oral a eles. Era louca por penis de homens e queria conhecer e sentir novos formas e tamanhos na boca e na coninha dela